COM A EXPANSÃO DE SEU MODELO DE NEGÓCIOS, A PRIME YOU É NOVAMENTE DESTAQUE NA MÍDIA.

DEPOIS DE DIVIDIR, A HORA É DE CONQUISTAR.

 

A Prime You foi a primeira empresa brasileira a fazer compartilhamento de veículos de luxo, como jatinhos, helicópteros, barcos e carros esportivos. Agora ela tem um plano mais ousado: transformar sua frota de aviões no mais exclusivo serviço de táxi aéreo do país.

 

Quando o Prime Fraction Club surgiu, em 2008, o conceito de compartilhamento de veículos de luxo – aeronaves, barcos e carros esportivos – ainda deixava os proprietários com um pé atrás. Na era pré-Uber, o maior desafio era conquistar clientes. Agora, depois de compor um seleto grupo de associados, a empresa traça um novo plano de voo: entrar no segmento de táxi aéreo e comercialização de aeronaves. “Não somos mais apenas uma empresa de compartilhamento”, diz Marcus Matta, presidente da Prime You, novo nome da companhia. “Estamos alinhando a empresa para o futuro.”

 

O objetivo do novo serviço de táxi aéreo é reduzir o custo mensal do cotista, que varia de R$ 40 mil a R$ 106 mil, no caso de helicópteros e jatos. Para isso, a solução foi diminuir a ociosidade dos ativos, que antes podiam ficar semanas no hangar, e ainda gerar uma receita extra. O serviço começa a funcionar no segundo semestre de 2019. “O Brasil tem muitos aeroportos e poucas empresas aéreas operando”, diz Flavio Pires, diretor geral da Associação Brasileira de Aviação Geral (Abag). “Tem muito espaço para crescer nesse segmento.” No serviço de compartilhamento, o cliente pode adquirir um jatinho, um carro ou um barco e dividir o custo da compra e manutenção com até outros quatro proprietários. Cada dono tem o direito de usufruir a propriedade por um determinado período de tempo, em sistema de rodízio. Com isso, o cliente tem uma economia de até R$ 4,7 milhões, no caso de um jato Phenom 300 (avaliado em R$ 7 milhões), pagando apenas R$ 2,3 milhões por uma cota e R$ 106 mil mensais de serviço.

 

Embora o segmento de aeronaves seja o maior negócio da Prime You, as áreas náutica e automotiva vão ganhar um aporte de R$ 10 milhões nos próximos três anos. “Em um prazo de três anos as frentes náutica e automotiva estarão equilibradas com a de aeronaves”, diz Matta. “Estamos diversificando e agregando produtos sempre olhando para o futuro. O compartilhamento vai ser um grande negócio nos próximos anos.” O empresário não revela o faturamento da companhia, mas estima um incremento de 26% na receita de 2019 com os novos negócios, o que colocaria a Prime em uma rota de crescimento de 24% ao ano. “Isso mostra que eles estão com bastante apetite”, diz Flávio Pires. “Estamos saindo da curva da recessão e a aviação executiva acompanha bastante o ritmo da economia.”

 

A estratégia da Prime You ganhou impulso e reconhecimento há dois meses quando a corretora Spinelli adquiriu 20% da empresa. “Isso é uma demonstração de que estamos fazendo algo de valor”, diz Matta. A sociedade com a holding ajudou a Prime ganhar fôlego para comprar uma fatia de si mesma, que pertencia, desde 2011, ao Patrimonial Blue Fundo de Investimento em Participações (FIP), gerido pela Planner Corretora. Uma futura abertura de capital também não está descartada. “Por enquanto a gente não tem pressa. Estamos trabalhando para ter essas portas abertas”, afirma Marcus Matta.